25 June, 2006

Flor e Fruto


... não tenho palavras para escrever! Só bytes e mais bytes captados no meu sony memory stick!

S.

Usada quero ser! Ousado quero o meu viver!

(Foto de P.L. Sem ti eu não era o que sou hoje! Serás sempre o meu ex mais presente! )

Nunca me aconteceu tanta coisa na minha vida como agora! Nunca a vi correr tão depressa! E sinto que este é o momento… pelo menos os preliminares já me deliciam!

É incrível como "ela" mudou! Se a pudesse desenhar teria até certo ponto umas poucas rectas, algumas curvas ascendentes, outras descendentes… mas, agora, teria um electrocardiograma de alguém em ataque cardíaco… just how i like it babe!

Mas não falo de mudança em termos de estilo de vida… essa nem penso sequer, não vale a pena! Só me interessa "para onde vou"”… de onde vim já foi! Mas penso muito em mudança em termos de acontecimentos por segundo ao quadrado! Deve ter uma fórmula qualquer para isso:
intensidade = (acontecimentos/vida) X seg2

Sempre me questionei muito em relação a isso: viver mais e mais depressa! Sempre senti que a minha vida corria devagar e cada vez tenho mais consciência disso. Cada vez sinto mais na pele que preciso ser mais ousada, e que a ousadia é um dom! E quero mais disso!
Quero viver muito! Quero um elixir para viver até aos 200, 300, … claro que não é só isso que interessa! Afinal, como o Álvaro Campos dizia, ou seria Ricardo Reis? Não! Era Bernardo Soares! Mais conhecido por FP… “…momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis…” Porque no fundo é isso que interessa… não será pedir muito, afinal não deveríamos estar cá por menos!

Estou a ter um orgasmo de vida… e este não vou querer reter!
Até lá: Usada quero ser! Ousado quero o meu viver!

(P.S. Agora tenho que ir! Vou pagar as contas da casa, e ainda tenho que pensar o que vou fazer para o jantar hahahahaha….)

08 June, 2006

Obrigado Che... e Che!


“Si avanzo, seguidme;
si me detengo, empujadme;
si retrocedo, matadme”
(CG)


Pela oportunidade de vos seguir, de me empurrarem quando preciso e de nunca, nunca, me deixarem morrer!

Amo ++